A Operação Brother Sam foi realizada pelo governo dos Estados Unidos, sob a ordem de apoiar ao regime de 1964 caso houvesse algum imprevisto ou reação por parte dos militares que apoiavam o então presidente João Goulart

Em 31 de Março de 1964 foi deflagrada a Operação Brother Sam, que, segundo documentos liberados pelo governo americano, consistia no envio de 100 toneladas de armas leves e munições, navios petroleiros com capacidade para 130 mil barris de combustível, uma esquadrilha de aviões de caça, um navio de transporte de helicópteros com a carga de 50 helicópteros com tripulação e armamento completo, um porta-aviões classe Forrestal, seis destróieres, um encouraçado, além de um navio de transporte de tropas, e 25 aviões C-135 para transporte de material bélico.

Consistindo de toda a força militar da Frota do Caribe, liderada por um porta-aviões da classe Forrestal da Marinha dos Estados Unidos e outro de menor porte, além de todas os navios e aeronaves de apoio requeridas a uma invasão rápida do Brasil pelas forças armadas americanas.

planodaoperacaoGordon queria a intervenção rapidamente, se a intervenção não tivesse vingado, o Brasil seria invadido, a poderosa Frota do Caribe estava a 50 milhas náuticas ao sul do Espírito Santo, nas águas próximas à cidade de Rio de Janeiro (cidade).

A Operação nunca chegou a ser colocada realmente em prática. Ela só seria realmente deflagrada caso houvesse a possibilidade explícita de uma guerra civil. Sendo assim, o reforço militar americano foi chamado de volta no dia 3 de abril de 1964. Para acobertar a situação, Lindon Gordon chamou o deslocamento da Frota do Caribe de um “exercício simulado”.

Apenas em 1976, quando o repórter do Jornal do Brasil, Marcos Sá Correa, teve acesso aos documentos, até então classificados, é que se teve o devido esclarecimento sobre as atividades militares norte-americanas na época do Regime Militar. Mesmo não tendo sido totalmente deflagrada, a Operação Brother Sam mostra que a intervenção militar por parte dos EUA não era só provável, como real e massiva.