Segundo o site DefenseNews, o Departamento de Estado dos EUA aprovou uma venda militar estrangeira (FMS) de US$ 593 milhões para a Nigéria, incluindo 12 aviões de ataque leve A-29 Super Tucano, que serão usando contra o grupo militante Boko Haram.

A Nigéria tem buscado a permissão do governo dos EUA para comprar A-29 Super Tucano desde 2015; no entanto, a administração Obama colocou a venda em espera devido a preocupações com os direitos humanos no país.

Em fevereiro, o presidente dos EUA, Donald Trump, sinalizou seu apoio à venda durante um telefonema com o presidente nigeriano, Muhammadu Buhari. Em abril, o acordo parecia estar avançando, quando funcionários não identificados dos EUA disseram à Associated Press que o Congresso seria notificado da venda nas próximas semanas.

“Essas aeronaves oferecem capacidades de localização de alvos aprimoradas, permitindo que a Nigéria lidere mais eficazmente a luta contra o Boko Haram e o ramo ISIS West Africa, além de potencialmente reduzir os riscos de danos colaterais a vítimas civis”, disse a fonte.

“O treinamento incluído neste pacote abrangente ajudará a construir as habilidades e procedimentos para operar de forma eficaz e responsável a aeronave de acordo com o direito internacional dos direitos humanos e a lei do conflito armado”, acrescentou o funcionário do governo.

Além das 12 aeronaves, o pacote de armas também inclui treinamento, munições, equipamentos relacionados e suporte de manutenção.

A Força Aérea dos EUA também manifestou interesse em comprar aeronaves de ataque leve como o Super Tucano. Esta semana, o serviço iniciou uma campanha de experimentação com a A-29 Super Tucano e outras aeronaves para avaliar suas capacidades. Se satisfeito, os funcionários poderiam começar a adquirir uma das opções.

Em 2016 os Estados Unidos entregaram quatro aeronaves de ataque leve A-29 Super Tucano para a Força Aérea Afegã, onde realiza operações de apoio aéreo, escolta e reconhecimento de terreno.