O Pentágono confirmou nesta sexta-feira a morte de Farouq al-Qahtani, principal líder da Al Qaeda no Afeganistão, durante um ataque aéreo, no mais duro golpe recentemente contra o grupo terrorista, que tenta se restabelecer no país.

“Este ataque bem-sucedido é outro exemplo das operações americanas para degradar as redes terroristas internacionais e acabar com os líderes terroristas que atacam os EUA”, afirmou o Departamento de Defesa em comunicado.

O representante do departamento disse que outro líder da Al-Qaeda no Afeganistão, Bilal al-Utabi, foi alvo de um segundo ataque, cujo resultado é desconhecido.

No final de outubro, a Direção Nacional de Segurança (NDS) –a agência de inteligência afegã– informou que “Farouq al-Qahtani, Bilal al-Utabi e um terceiro membro do grupo morreram em um ataque da coalizão na província de Kunar”.

O ataque aéreo ocorreu em 23 de outubro, na província de Kunar, na fronteira com o Paquistão. O ataque foi realizado com drones, que dispararam vários mísseis contra dois prédios separados, onde estavam os alvos.

Ao menos 15 rebeldes morreram no ataque, incluindo dois árabes e vários combatentes talibãs paquistaneses, segundo o porta-voz provincial Abdul Ghani Mosamem.

Um oficial americano qualificou a operação como a “mais importante contra a Al-Qaeda em muitos anos”. “Eles são os líderes mais importantes da Al-Qaeda no Afeganistão. Sua morte representaria um sério revés para o grupo terrorista”, disse na ocasião o serviço de imprensa do Pentágono.