A Venezuela está preparando o maior exercício militar de sua história, que sera realizado neste sábado, após o governo venezuelano ter dito que está em alerta máximo em um momento em que a oposição pressiona por um referendo para tirar o presidente Nicolás Maduro.

“A Venezuela está ameaçada”, disse o ministro da Defesa, Vladimir Padrino López, na televisão estatal na quinta-feira. “Esta é a primeira vez que realizamos um exercício dessa natureza no país. Em termos de alcance nacional, ele vai estar em todas as regiões estratégicas”.

Maduro anunciou os exercícios no fim de semana passado, um dia depois de prometer que prolongará os poderes especiais de emergência de seu governo. Divagando em uma entrevista coletiva que concedeu na terça-feira, Maduro disse que aviões espiões dos EUA, inclusive um Boeing 707 E-3 Sentry, entraram ilegalmente no espaço aéreo do país nesta semana. O país já estava em um elevado estado de alerta desde que os EUA renovaram um decreto presidencial que afirma que o país sul-americano é uma ameaça para sua segurança nacional, disse Padrino López.

O governador opositor Henrique Capriles disse que a “hora da verdade” chegou para as Forças Armadas do país na terça-feira, um dia antes que as forças de segurança usassem gás lacrimogênio contra manifestantes contrários ao governo na região central de Caracas.

Fonte: UOL