De 1964 a 1985, o Brasil viveu a Ditadura Militar, uma época em que os militares passaram a governar o país. Esse período foi chamado por muitos de ditadura militar, mas sabemos que não foi bem assim. O regime acabou quando José Sarney assumiu a presidência, o que deu início ao período conhecido como Nova República (ou Sexta República).

Primeiro vamos entender oque e “Regime Militar” ?

Regime militar é um governo controlado por militares, sendo que maior parte dos regimes militares são formados após um golpe de Estado derrubando o governo anterior. Regimes militares geralmente são criticados pelo pouco zelo aos direitos humanos e usa todos os meios necessários para silenciar os adversários políticos, que são vistos como opositores. Atualmente temos um País governado por militares que é a Tailândia.(Coreia do norte começaram como um Estado de partido único, mas ao longo de sua existência seus dirigentes e os militares se tornaram intimamente envolvidos no governo, sendo assim não houve golpe de estado)

Vejam: O que não te ensinaram na escola sobre o Regime Militar

O Regime Militar no Brasil

ditaduramilitar_br

O Regime militar no Brasil teve seu início na madrugada de 1º de abril de 1964 e durou até 15 de março de 1985, sob comando de sucessivos governos militares. O regime acabou quando José Sarney assumiu a presidência, o que deu início ao período conhecido como Nova República (ou Sexta República).

Colocando em prática vários Atos Institucionais, culminando com o AI-5 de 1968, que vigorou por dez anos. A Constituição de 1946 foi substituída pela Constituição de 1967 e, ao mesmo tempo, o Congresso Nacional foi dissolvido, liberdades civis foram suprimidas e foi criado um código de processo penal militar que permitia que o Exército brasileiro e a Polícia Militar pudessem prender e encarcerar pessoas consideradas suspeitas, além de impossibilitar qualquer revisão judicial.

Aproveite este pacotão promocional! Os seis cadernos sobre o regime militar (1964-1985), com 20% de desconto. De R$ 95 por R$ 76!

O Regime foi saudada por importantes setores da sociedade brasileira: Grande parte dos empresariados, da imprensa, dos proprietários rurais, da Igreja católica, vários governadores de estados e amplos setores de classe média pediram e estimularam a intervenção militar, como forma de pôr fim à ameaça do comunismo no País e de controlar a crise econômica. O Regime também foi recebido com alívio pelo governo norte-americano, satisfeito de ver que o Brasil não seguia o mesmo caminho de Cuba, onde a guerrilha liderada por Fidel Castro havia conseguido tomar o poder.

Segundo pesquisas, estima-se que houve 434 pessoas entre mortos e desaparecidos durante o regime, além de um genocídio de cerca de 8,3 mil índios na Amazônia durante a construção da Transamazônica. Pelo contrario esse período foi marcado como o maior crescimento econômico na história do Brasil.

Os militares na época justificaram o suposto “golpe”, afirmando que o objetivo era restaurar a disciplina e a hierarquia nas Forças Armadas e deter a “ameaça comunista” que, segundo eles, pairava sobre o Brasil.

O processo de “redemocratização” estava praticamente finalizado em 1985, mas somente em 15 de novembro de 1989, que ocorreram as primeiras eleições diretas para a presidência da república, após o período militar.

  • João Paulo Almeida Marques

    cara… muitas informações erradas nesse post ….

  • Lucas Patriota

    Que Deus Restaure o Glorioso Regime Militar Brasileiro!!!