ArtigosCuriosidades Militares

Arco do Triunfo: A História do Monumento

0
Arco do Triunfo: A História do Monumento
Arco do Triunfo: A História do Monumento

Você certamente já ouviu falar no Arco do Triunfo, mas a história dele vai muito além do que você imagina!

O Arco do Triunfo é um monumento francês que está localizado em Paris, ele foi erguido em comemoração às grandes conquistas militares do grandioso Napoleão Bonaparte, um dos maiores generais da história.

Arco do Triunfo

Arco do Triunfo

Napoleão ordenou a construção do Arco em 1806, e ele passou a ser inaugurado apenas em 1836. Este icônico monumento carrega o nome de 128 batalhas e mais de 500 generais! A estrutura fica na praça de Charles Gaulle e na sua base há um túmulo de um soldado francês.

Esta obra histórica foi projetada por um arquiteto chamado Jean Chalgrin, e o Arco do Triunfo possui incríveis 50 metros de altura, e 45 de largura.

História do Arco do Triunfo

O Arco do Triunfo representa a glória e as conquistas do Primeiro Império Francês, o qual foi liderado por Napoleão Bonaparte. Ele enaltece um dos períodos de maiores conquistas para a França, sendo uma singela homenagem a este nome tão prestigiado pelos franceses.

A construção do monumento foi interrompida inúmeras vezes, foi iniciada por Jean Chalgrin, e após seu falecimento foi retomada por Jean Nicholas, após ser interrompida mais uma vez, ela só voltou a ser finalizada durante o reinado de Luíz Filipe, através das mãos do arquiteto Goust, e posteriormente Huyot.

Arco do Triunfo

Arco do Triunfo

No ano de 1840 os restos mortais de Napoleão foram levados até o Arco para depois ser sepultado no Hotel des Invalides, dando ao Arco ainda mais valor histórico.

Uma curiosidade interessante é que a espada da estrutura representa a República, e nas batalhas de Verdun o monumento sofreu danos justamente na Espada, situação a qual os franceses fizeram de tudo para esconder os desgastes para evitar interpretações negativas ao simbolismo francês.

Arc de Triomphe

‘’Arc de Triomphe’’ é o nome da estrutura em francês, e ele é o ponto de partida de inúmeros desfiles militares por conta de todo o seu prestígio histórico e cultural. Um fato importante envolvendo o monumento ocorreu em 1944 e 1945, através do desfile dos exércitos aliados, representando uma das vitórias mais importantes da história. Durante os desfiles os soldados evitam passar pelo centro do arco como uma forma de respeito histórico.

Charles Gaulle respeitou este simbolismo no desfile de 1944, e até mesmo o genocida Adolf Hitler evitou de passar no centro do arco em 1940 como uma forma de respeito a Napoleão, e convenhamos que ver uma demonstração de respeito ao Arco do Triunfo vindo de um genocida, é algo realmente inesperado.

O Novo Arco do Triunfo

Em 1982 foi construído um novo Arco por conta da expansão da Avenida dos Campos Elísios. Ergueram o Grande Arco de La Défense, concretizando a linha dos monumentos que constitui o Eixo Histórico, formado por 3 arcos ‘’Arc de la Defense, Arc du Triomphe e Arc Triomphe de I’Étoile.

No ano de 1995 um grupo Islâmico explodiu uma bomba perto do Arco, ferindo 17 pessoas no local. Esse foi um dos atentados mais lembrados na França, devido a afronta ao maior símbolo da França.

Uma outra curiosidade bastante interessante é que o Brasil já teve sua própria versão do Arco! Em 1921 o presidente Epitácio Pessoa visitou São Paulo, e a prefeitura se inspirou nos franceses, inaugurando um Arco do Triunfo provisório.

Arco do Triunfo São Paulo

Arco do Triunfo na cidade de São Paulo, em 1921.

 

Em 3 dias ergueram um arco de 28 metros de altura, e foi desmontado pouco tempo após o evento, após a comemoração da independência do Brasil.

Obviamente essa versão do Arco do Triunfo era muito mais simples e não era uma estrutura fixa, mas ainda assim é algo impressionante levando em conta que foi erguido em apenas 3 dias!

Conheça os melhores filmes sobre a Primeira Guerra Mundial!

Clique para classificar este post!
[Total: 1 Média: 5]
felipeblazerz
Redator há mais de 3 anos. Felipe é amante da filosofia e da geopolítica.

    Aníbal Barca: O Pesadelo de Roma

    Artigo anterior

    Principais armas utilizadas na Primeira Guerra Mundial

    Próximo artigo

    Comentários

    Os comentários estão fechados.

    Mais Artigos