A suposta Batalha de Los Angeles aconteceu em 25 de fevereiro (2 meses após o ataque a Pearl Harbor), matando 6 pessoas em acidentes de carros e por destroços que caíram do céu.

Durante a madrugada de 24 para 25 de fevereiro de 1942 o alarme da cidade de Los Angels, Califórnia, foi acionado e os militares abriram fogo contra um suposto objeto voador não identificado (OVNI), dando inicio a “Batalha de Los Angeles”

Inicialmente, os militares pensaram que fosse alguma tecnologia dos japoneses, os vários projetores de luz do sistema de defesa da cidade focaram na suposta aeronave, e os canhões anti-aéreos dispararam mais de 2.000 projéteis de 5 kg.

Cerca de seis pessoas morreram em acidentes de carros e por destroços que caíram do céu em conseqüência direta do ataque do exército ao “OVNI”, que moveu-se lentamente em direção da praia de Long Beach até desaparecer completamente. Sendo que nem uma única bomba foi derrubada, e nenhum caça inimigo foi abatido.

Jornal da época sobre a Batalha de Los Angeles
Jornal da época sobre a Batalha de Los Angeles

Poucas horas depois do fim do suposto “ataque aéreo”, o secretário da Marinha Frank Knox realizou uma conferência de imprensa, dizendo que todo o incidente foi um falso alarme devido à ansiedade e “nervos de guerra”.

Foto em negativo tirada durante a Batalha de Los Angeles
Foto em negativo tirada durante a Batalha de Los Angeles

Ao documentar o incidente em 1949, a United States Coast Artillery Association identificou um balão meteorológico enviado às 1:00 da manhã que “supostamente deu inicio aos disparos” e concluiu-se que “uma vez que os disparos começaram, a imaginação criou todos os tipos de alvos no céu e todos se juntaram “. Em 1983, o Departamento de História da Força Aérea dos EUA atribuiu o evento a um caso de “nervos de guerra” desencadeado por um balão meteorológico se solto e ficou “vagando” por Los Angeles.

Após o termino da guerra, o governo japonês declarou que não tinha voado nenhum avião sobre Los Angeles durante a guerra.