Conheça Eugene Lazowski, um médico que criou uma falsa epidemia de tifo e salvou 8.000 judeus.

Pouco antes da Segunda Guerra mundial começar, Eugene Lazowski estava terminando seus estudos de medicina na Universidade Józef Piłsudsk, em Varsóvia. Mal ele sabia que durante o conflito salvaria milhares de vidas inventando uma epidemia falsa.

Eugene Lazowski foi um médico polonês responsável por salvar 8.000 judeus da morte certa nos campos de concentração da Alemanha nazista. Durante a guerra ele serviu como Segundo Tenente do Exército Polonês. 


Após a rápida derrota do exército polonês em 1939, ele foi capturado e enviado para um campo de prisioneiros de guerra, mas conseguiu uma licença e foi trabalhar para a Cruz Vermelha  na cidade de Rozwadow.

Sob juramento médico, Lazowski ajudaria quaisquer pessoas necessitadas independente de sua raça ou religião. Então prestou assistência médica aos seus vizinhos judeus em Rozwadow.

Ele criou um sistema onde, se um residente judeu precisasse de assistência médica, penduraria um pano na cerca de Lazowski e então Eugene faria uma visita domiciliar ao anoitecer.

A fim de evitar que seus vizinhos e amigos judeus fossem enviados para os campos de concentração nazistas, Eugene Lazowski e seu amigo Stanisław Matulewicz (também médico) começaram a fazer testes com bactérias. A dupla descobriu que, se você injetar uma “vacina” contendo Tifo morto,o teste para a doença seria positivo. Embora o paciente tenha um teste positivo, não haveria efeitos da doença.

Gueto. Varsóvia, na Polônia, em 1943
Judeus sendo capturados no Gueto. Varsóvia, na Polônia, em 1943

Lazowski sabendo que os nazistas temiam epidemias – já que tais doenças eram difíceis de controlar ou erradicar em condições de guerra. – Ele apresentou um plano para encenar uma falsa epidemia de tifo na região, dessa forma, o gueto se tornava intocável. Depois de injetar a “vacina” em muitos judeus e não-judeus no gueto de Rozwadow e arredores, o governo alemão rapidamente ordenou um bloqueio da área. 

Para confirmar a epidemia, uma equipe médica alemã foi enviada para Rozwadow, onde o Dr. Lazewski as recebeu. Então coletaram numerosas amostras de sangue. Como as amostras de sangue mostravam sinais de tifo, o caso foi comprovado. Rozwadow e as aldeias vizinhas foram colocadas definitivamente em quarentena.

Eugene Lazewski havia superado os nazistas. Suas ações poderiam facilmente tê-lo matado. Ajudar os judeus era punido com a morte durante a ocupação da Polônia. No final da guerra, no entanto, os alemães ficaram desconfiados, pois os doentes não estavam morrendo.


Todas as pistas levaram a uma pessoa; Eugeniusz Lazowski. Ele foi avisado para deixar a cidade por um soldado alemão que ele havia ajudado anteriormente. Com sua família, ele conseguiu escapar para Varsóvia. Soldados alemães supostamente começaram a matar judeus do gueto depois disso, mas felizmente, a guerra terminou antes que eles pudessem matar todos.

Após a guerra, Lazewski se estabeleceu nos Estados Unidos, onde se tornou professor de pediatria na Universidade Estadual de Illinois em 1976.

Um documentário foi filmado pelo produtor Ryan Bank no ano 2000 sobre o papel de Lazowski na guerra, intitulado  “Uma Guerra Privada”. O documentário incluiu entrevistas com pessoas que foram salvas pela falsa epidemia. Eugene permaneceu extremamente quieto sobre a guerra até sua morte e, de acordo com sua filha, ele nunca contou à esposa sobre a epidemia falsa.

 Eugene Lazowski "Uma Guerra Privada"
Eugene Lazowski Gravando o documentário “Uma Guerra Privada”.

Eu não fui capaz de lutar com uma arma ou espada Eu encontrei uma maneira de assustar os alemães. Dr Eugene Lazowski

Eugene Lazewski faleceu em 16 de dezembro de 2006,  aos 92 anos.

Fontes: Chicago Tribune,  Jewish Virtual Library

Eugene Lazowski – O Médico que criou uma falsa epidemia e salvou milhares de judeus
5 (100%) 2 Voto[s]


Assine nossa Newsletter

Mantemos os seus dados privados e os compartilhamos apenas com terceiros que tornam este serviço possível. Leia nossa política de privacidade.