Destroyer (USS Fitzgerald) colidiu com navio cargueiro filipino a sudoeste de Yokosuka, Japão. Sete membros da tripulação do USS Fitzgerald estão desaparecidos

O destroyer americano USS Fitzgerald (DDG 62), auxiliado por rebocadores, voltou a Yokosuka, Japão, na noite de sábado, horário local. Cerca de 16 horas antes, ele colidiu com um navio mercante filipino, a sudoeste de Yokosuka. Sete membros da tripulação do Fitzgerald podem ter sido arremessados ao mar e estão desaparecidos.

O Vice-almirante Joseph P. Aucoin, comandante da 7ª Frota, estava no cais quando o navio chegou. “Está​ sendo um dia difícil”, disse Aucoin. “Estou orgulhoso pela bravura e tenacidade da tripulação do Fitzgerald. Agora que o navio está em Yokosuka, peço que todos cooperem com as famílias e zelem pela manutenção de sua privacidade, enquanto continuamos a buscar nossos companheiros.”

“Quero destacar a extraordinária coragem dos marinheiros do Fitzgerald que contiveram as inundações, estabilizando o navio e navegando de volta para Yokosuka, apesar das circunstâncias excepcionalmente difíceis”, diz o Almirante Charles Williams, responsável pela missão.

Logo após a colisão, os EUA fizeram um pedido de apoio a Guarda Costeira do Japão (JCG), que foram os primeiros a chegar no local. Os navios japoneses JS Ohnami, JS Hamagiri, e Enshu JS foram enviados para se juntar aos navios JCG Izanami e Kano. O USS Dewey (DDG105) serviu como navio de escolta para Fitzgerald até o porto de Yokosuka. Um Boeing P-8 Poseidon Americano está trabalhando em conjunto com dois helicópteros e uma aeronave Lockheed P-3 Orion da Marinha japonesa, fazendo buscas na área onde ocorreu o incidente. Os nomes dos desaparecidos estão sendo mantidos em sigilo até que todas as famílias sejam notificadas.

A colisão afetou a frente estibordo do Fitzgerald, acima e abaixo da linha d’água, causando danos significativos e inundações em dois espaços de atracação, um espaço de máquinas ea sala de rádio. Embora o navio esteja de volta a Yokosuka, permanece incerto quanto tempo vai demorar para ter acesso aos espaços para continuar metodicamente a busca de desaparecidos entre as ferragens.

Assim que o navio chegou em Yokosuka, mergulhadores começaram a inspecionar os danos e a desenvolverem um plano para reparos e inspeção dos espaços. Três marinheiros necessitaram de evacuação médica do navio. Um deles era o comandante Bryce Benson, oficial comandante de Fitzgerald, que foi transferido para Hospital Naval Americano de Yokosuka por um helicóptero da Marinha do Japão. Todos os três marinheiros estão conscientes e permanecerão sob observação no hospital.