Forças da Armênia e do Azerbaijão entraram em confronto neste sábado (2) na região disputada de Nagorno-Garabagh. Os governos de ambos os países culparam o outro pelo início dos confrontos.

O governo do território independente diz que um menino foi morto. O Azerbaijão diz que 12 de seus soldados morreram e que cem armênios foram mortos ou feridos. A Armênia não confirma o número.

O porta-voz do Ministério de Relações Exteriores armênio, Artsrun Hovhannisyan, afirmou em perfil do Facebook que as forças do país na região derrubaram um helicóptero militar azeri.

“Doze soldados azeris morreram em combate e um helicóptero foi abatido pelas forças armênias”, declarou em um comunicado o ministério da Defesa do Azerbaijão, que assegurou que seu exército retomou duas colinas estratégicas e uma aldeia nesta região.

“Do nosso lado, são 18 soldados mortos e 35 feridos”, anunciou o presidente armênio, Serge Sarkissian em uma entrevista à TV local, sem especificar se os combatentes pertenciam ao exército regular ou à milícia Nagorno Karabaj, apoiada por Yerevan.

Em Nagorno Karabakh, as forças separatistas apoiadas pela Armênia anunciaram ter abatido dois helicópteros e um drone e destruído três tanques, assegurando que os azeris mataram um menino de 12 anos e feriram outros dois civis em uma localidade fronteiriça. No total, o governo armênio contabilizou sete civis feridos nesta região separatista, apoiada por Yerevan.