O presidente Michel Temer assina nesta sexta-feira a revogação do decreto 8415/2015, de setembro do ano passado, que causou desconforto nas Forças Armadas ao retirar atribuições dos comandantes militares. O decreto seguia os padrões do chavismo que esta empregado na Venezuela, e retirava o privilégio dos comandantes militares. Temer já havia sinalizado anteriormente que brecaria a ação bolivariana da presidente afastada, mas agora a promessa será concretizada:

O texto, editado quando Jaques Wagner ainda era o ministro da Defesa, retirou dos comandantes militares e transferiu para o ministro da pasta a competência de assinar atos relativos a pessoal, como a transferência para a reserva, reforma de oficiais da ativa e da reserva e promoção de oficiais.

Depois da enorme controvérsia da medida, Wagner disse, em audiência no Congresso, que o decreto havia sido um “erro” da assessoria da pasta.