Conheça o Plano Marshall, a reconstrução de um continente e a luta contra o comunismo

O Plano Marshall é considerado o mais bem-sucedido programa de ajuda externa da história. O discurso que delineou o ambicioso plano foi feito em 1947

O discurso foi sem alarde e durou apenas 12 minutos, mas assinalou uma mudança na era do pós-guerra e anunciou grandes mudanças por vir. Em 5 de junho de 1947, o secretário de Estado dos EUA, George C. Marshall, dirigiu-se à turma de formandos da Universidade de Harvard, em Cambridge, Massachusetts. Em poucos dias, suas recomendações ficaram conhecidas como o Plano Marshall, entrando para a história como o projeto de reconstrução mais bem-sucedido do século XX.


“O Plano Marshall serviu como base econômica e política para a aliança ocidental que travou a Guerra Fria“, disse Diane Kunz, professora de história da Universidade de Yale. “Permitiu que os Estados Unidos gradualmente se engajassem no “confronto bipolar”, comprometendo dinheiro, não sangue”.

O plano de Marshall foi projetado para neutralizar a propagação do comunismo na Europa

No entanto, os historiadores discordam sobre o tamanho do papel desempenhado pelo financiamento do Plano Marshall na recuperação econômica da Europa. O discurso de Marshall ofereceu poucos detalhes, mas o poderoso impacto de suas ideias, militar e politicamente, deixou uma marca na Europa por décadas após o fim da guerra.

Conheça a Guerra da Coréia o conflito esquecido que moldou a atualidade

Depois da guerra, os Estados Unidos, com sua infraestrutura intacta e economia próspera, tinham uma noção clara de para onde o país caminhava. Por outro lado, especialistas previam colapso financeiro e social na Europa.
Marshall, futuro ganhador do Prêmio Nobel da Paz, disse em Harvard que sua proposta foi “dirigida não contra qualquer país ou doutrina, mas contra a fome, a pobreza, o desespero e o caos”.

O efeito Marshall

No final do Plano, em 1952, cinco anos após o discurso de Marshall, os Estados Unidos haviam investido mais de US $ 13 bilhões em bens e serviços financeiros, equivalentes a cerca de US $ 100 bilhões hoje (74,3 bilhões de euros). Cerca de US $ 1,4 bilhão do total inicial foi investido na reconstrução da Alemanha, que estava reduzida a entulho.

A oferta de ajuda dos EUA foi feita para todos os países europeus. Os quatro principais destinatários da ajuda, em ordem decrescente, foram a Grã-Bretanha, a França, a Itália e a Alemanha. Moscou deu o tom para a Guerra Fria, com um claro “nyet” que proibia os países do Leste Europeu de aceitar a generosidade do benfeitor capitalista.

Ninguém duvida que o Plano Marshall contribuiu poderosamente para consolidar a divisão da Europa e do mundo.
As intenções de Washington eram claras: somente com prosperidade a Europa Ocidental poderia se tornar um baluarte contra o comunismo. O Plano Marshall ajudou a tornar as massas famintas da Europa parceiros confiáveis ​​para os EUA.


 Presidente Harry S. Truman discursando em uma sessão conjunta do Congresso pedindo US $ 400 milhões em ajuda à Grécia e à Turquia. Este discurso ficou conhecido como o discurso da "Doutrina Truman" (12 de Março de 1947)
O Presidente Harry S. Truman discursando em uma sessão conjunta do Congresso pedindo US $ 400 milhões em ajuda à Grécia e à Turquia. Este discurso ficou conhecido como o discurso da “Doutrina Truman” (12 de Março de 1947)

Os idealizadores do Plano Marshall não podem receber todo o crédito por esse sucesso. Os recursos locais representaram 80 a 90 por cento da formação de capital nas principais economias europeias durante os dois primeiros anos do programa de recuperação, de acordo com o professor de história da Universidade de Iowa, Michael Hogan, um proeminente especialista no Plano Marshall.

O plano começou dois anos depois da Conferência de Potsdam
O plano começou dois anos depois da Conferência de Potsdam

No entanto, o Plano Marshall forneceu a “margem crítica” de apoio que possibilitou a autoajuda europeia. Isso alimentou as importações essenciais, aliviou os gargalos de produção, encorajou taxas mais altas de formação de capital e ajudou a suprimir a inflação, escreveu Hogan em um documento que celebra o 50º aniversário do discurso de Marshall.

Todos esses efeitos levaram a ganhos de produtividade, melhorias no comércio e a era mais duradoura de paz social e prosperidade na história europeia moderna.

Organizado a partir de: The Marshall Plan: Rebuilding a War-Torn Continent (DW)The Truman Doctrine and the Marshall Plan (USA DEPARTAMENT OF STATE – OFFICE OF THE HISTORIAN)

Plano Marshall: A reconstrução de um continente e a luta contra o comunismo
5 (100%) 1 Voto[s]


Assine nossa Newsletter

Mantemos os seus dados privados e os compartilhamos apenas com terceiros que tornam este serviço possível. Leia nossa política de privacidade.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here