Os chefes militares dos Estados Unidos afirmam que uma guerra com a Coréia do Norte poderia resultar em cerca de 10.000 vítimas americanas relacionadas ao combate apenas nos primeiros dias – 3.000 mais do que o total dos combatentes mortos no Iraque e no Afeganistão.

Anúncios

Eles demonstraram suas preocupações após participarem de uma reunião no Havaí, onde analisaram como seria um conflito em grande escala com a Coréia do Norte.

O exercício de mesa, que estudou vários cenários, incluiu o Chefe de Gabinete do Exército, o General Mark Milley, e o Comandante do Comando de Operações Especiais, General Raymond Thomas.

Durante essas suposições, eles também concluíram que, em ambos os lados, o número de vítimas civis poderia atingir centenas de milhares.

Coreia do Sul e EUA em exercício de guerra
Coreia do Sul e EUA em exercício de guerra

Atualmente, os EUA possuem cerca de 28.500 soldados na Coréia do Sul, enquanto a capital de Seul – facilmente no alcance de Kim Jong-un – tem uma população de 24 milhões de pessoas.

Além disso, os chefes militares também calcularam o número de tropas das Forças Especiais de Operações que seriam necessárias para atingir locais estratégicos na Coréia do Norte.

Os outros cenários estudados incluíram a necessidade de lutas em túneis – assim como no Vietnã.

É interessante notar que a tensão existente entre a Coréia do Norte e os EUA parece ter diminuído, nas últimas semanas, após a participação do Norte nos Jogos Olímpicos de Inverno que ocorreram na Coréia do Sul.

No entanto, nesse fim de semana, Kim Jong-un advertiu Donald Trump para manter a Marinha Americana longe de suas águas e para pensar duas vezes sobre os bloqueios navais.

A mídia norte-coreana disse que seu líder não suportará o aumento dos bloqueios marítimos por parte dos Estados Unidos e seus aliados.

Pentágono afirma que uma guerra com a Coréia do Norte levaria a mais americanos mortos do que no Iraque e no Afeganistão
Avalie esta postagem
Anúncios