Tupolev afirma que nova versão trará melhorias significativas em seu armamento, navegação e aviônica

Anúncios

 

KAZAN, Rússia (Reuters) – O presidente Vladimir Putin elogiou o recém-construído bombardeiro estratégico supersônico depois de assisti-lo em voo nesta quinta-feira.  Putin disse que a aeronave irá reforçar a capacidade das armas nucleares russas.

Um contrato assinado na quinta-feira prevê que 10 bombardeiros nucleares TU-160M sejam entregues à Força Aérea Russa, com um custo de 15 bilhões de rublos (cerca de 269 milhões de dólares americanos), entre agora e 2027.

O avião é substancialmente uma versão modernizada de um bombardeiro da era soviética que a URSS usaria no caso de uma guerra nuclear com o Ocidente para despejar armas nucleares a grandes distâncias.

“Este é um passo importante para desenvolver nossa tecnologia e fortalecer a capacidade do país de se defender”, disse Putin, que afirmou que o novo avião fortaleceria a capacidade das armas nucleares da Rússia.

Em novembro de 2017, o avião começou a passar por testes no polígono aéreo da fábrica de aviões Gorbunov em Kazan.

O TU-160M ​​é capaz de transportar 12 mísseis de cruzeiro ou 12 mísseis nucleares de curto alcance e pode voar 12.000 km (7.500 milhas) sem precisar ser reabastecido.

Putin, que se prepara para disputar sua reeleição em 18 de março com as pesquisas mostrando que ele provavelmente ganhará facilmente, inspecionou a fábrica em Kazan, onde o novo avião está sendo construído, além de uma pista de pouso, hangares e oficinas modernizadas.

Sob o Governo Putin, que domina a paisagem política russa nos últimos 18 anos, a Rússia aumentou significativamente os gastos com defesa e realizou incursões militares na Geórgia, na Ucrânia e na Síria.

As versões existentes da TU-160 passaram de bases na Rússia para a Síria, onde eles bombardearam forças contra o presidente Bashar al-Assad, um dos aliados do Oriente Médio mais de Moscou.

A Tupolev, fabricante do avião, diz que a versão modernizada será 60 por cento mais ‘efetiva’ do que a versão mais antiga, ela trará melhorias significativas em seu armamento, navegação e aviônica.

Rinat Khamatov, soldador da fábrica, disse que a Rússia precisava de uma versão modernizada do bombardeiro.

“O TU-160 … é uma arma de dissuasão e é ótimo que a Rússia possa fazê-lo novamente”, disse ele à Reuters.

A Rússia também pretende produzir uma versão modernizada do seu avião-tanque de reabastecimento Il-78, chamado de Midas pela Otan, que pode reabastecer o TU-160 no meio do ar, permitindo-o chegar a qualquer ponto do planeta.

Por Andrew Osborn e Angus MacSwan, Reuters.

Putin elogia novo bombardeiro supersônico russo
Avalie esta postagem
Anúncios