Armas

Thompson: A arma dos americanos na Segunda Guerra Mundial

0
Soldados americanos armados com Thompson

Conheça a Thompson: A arma padrão dos americanos na Segunda Guerra Mundial

Uma das preferidas dos amantes dos jogos que envolvem a Segunda Guerra Mundial e dos amantes do tema, a submetralhadora Thompson foi amplamente utilizada pelas forças americanas no decorrer deste conflito, período em que cerca de 1,5 milhão de unidades desta arma foram produzidas.

Geralmente vista nas mãos de oficiais e sargentos, a Thompson foi a arma padrão dos norte-americanos e foi utilizada também por soldados de outras nações do bloco dos Aliados durante a campanha na África.

Conheça: StG 44 – O pai de todos os fuzis de assalto

Projetada pelo General John T. Thompson, entre 1917 e 1919, e fabricada pela Auto-Ordnance Corporatio, a Thompson era uma arma muito refinada, possuía coronha e empunhaduras em madeira e um acabamento de grande qualidade.

Submetralhadora Thompson

Assim como a MP40, alemã, e a Sten, britânica, foi uma das primeiras representantes do segmento das submetralhadoras. Além de sua utilização na Segunda Guerra, sua eficiência a tornou uma queridinha de gângsters americanos, principalmente no período da chamada Lei Seca, e acabou se tornando a marca de Al Capone, que parecia ter uma certa preferência pela arma em questão.

Em suas primeiras versões possuía carregador do tipo tambor que comportava até 50 cartuchos .45 ACP de uma única vez, proporcionando a possibilidade de uma longa rajada. Apesar disso, o que era uma vantagem também era seu problema, uma vez que o tipo de carregador era extremamente propenso a falhas.

Com isso, no decorrer da guerra, o governo dos EUA passou a disponibilizar aos seus soldados a submetralhadora Thompson M1A1, que apresentava carregador reto com apenas 20 cartuchos, bem menos que o modelo convencional, porém, mais seguro.

Além de atualizar a versão do armamento, a fabricação também passou a ser mais simples, tornando sua produção e envio para o front rápidos o suficiente para manter os aliados sempre bem equipados.

Clique para classificar este post!
[Total: 1 Média: 5]
Higor Mendes
Redator com cinco anos de experiência, apaixonado por história da Segunda Guerra Mundial, política, futebol e curiosidades em geral.

    Quem foi Maria Sguassábia e qual sua importância na revolução de 1932?

    Artigo anterior

    Simo Häyhä: A Morte Branca

    Próximo artigo

    Comentários

    Os comentários estão fechados.

    Mais Armas