ArmasCuriosidades Militares

Mitsubishi A6M Zero: o caça japonês que levou terror aos céus do Pacífico

0

Conheça o Mitsubishi A6M Zero, o caça japonês que aterrorizou o Pacífico na Segunda Guerra Mundial

Entre 1940 e 1945, o principal caça de longo alcance utilizado pela Marinha Imperial Japonesa, e sem dúvidas um dos mais conhecidos da Segunda Guerra Mundial, foi o Mitsubishi A6M Zero, popularmente conhecido como Zero, por conta de sua designação como caça de transporte categoria zero, em alusão ao último dígito do ano Imperial de 2600 (1940 no calendário cristão).

Em sua nomenclatura original, A6M, o A diz respeito a sua classificação como caça capaz de decolar de porta-aviões. O 6 representa o fato de ser o sexto projeto da Marinha Imperial Japonesa e o M é a inicial de Mitsubishi.

Veja: Os Melhores Filmes da Segunda Guerra Mundial

Devido a falta de motores potentes, a partir de 1943 o Mitsubishi A6M Zero passou a se mostrar obsoleto em relação a outros caças da mesma categoria utilizados pelos aliados. Mesmo assim, foi utilizado em larga escala pelos japoneses até o fim do conflito.

Esquadra de Zeros prestes a decorar

Para fabricação do Mitsubishi A6M Zero, a Marinha usou como base as experiências adquiridas em seu antecessor, o A5M, e determinou alguns pré-requisitos que deveriam ser atendidos para que fosse, enfim, liberada sua produção.

Entre as exigências feitas às empresas estavam: que o novo avião fosse capaz de atingir velocidade máxima de 595 km/h e que pudesse alcançar 3.000 metros em cerca de 3 minutos e meio. Além disso, a Marinha ainda exigiu que a aeronave tivesse duas horas de autonomia em consumo comum e de seis a oito horas em velocidade baixa. Na fase final do projeto, seu motor já alcançava incríveis (para a época) mil cavalos de potência.

Em relação ao arsenal, o Zero deveria ser equipado com uma dupla de canhões de 20mm e duas metralhadoras 7.7mm, podendo também carregar até duas bombas de 30kg a 60kg cada.

Veja: O cemitério submerso de aviões da Segunda Guerra Mundial

Feitas as exigências, a empresa Nakajima desistiu do projeto, acreditando que o que a Marinha desejava era algo inalcançável. Enquanto isso, Jiro Horikoshi, engenheiro da Mitsubishi, afirmou que era possível atender a todos os pedidos, desde que a aeronave fosse o mais leve possível.

Jiro Horikoshi e sua criação, o Zero

Com isso, o Mitsubishi A6M Zero teve todas as suas medidas adaptadas para se tornar cada vez mais leve. Além disso, o material utilizado para sua fabricação, na época considerado um material secreto, era o Zicral, uma liga composta por 88% de alumínio, 6% de zinco, 2,5% de magnésio e 2% de cobre, que a tornava muito leve e mais resistente que o aço, quando comparados com o mesmo peso.

A6M Zero danificado

Como se todas as adaptações não fossem o bastante, para deixar o Zero ainda mais leve, a aeronave não recebeu qualquer tipo de armadura especial para o piloto, nem para o motor e nem para qualquer outra parte. Com isso, o A6M se tornou mais rápido que qualquer outro avião do começo da Segunda Guerra Mundial, porém, completamente vulnerável a incêndios e explosões quando atingido.

Veja: Os principais aviões da Segunda Guerra Mundial

São estimadas que cerca de 1.550 aeronaves americanas tenham sido abatidas por caças Zero no decorrer da Segunda Guerra Mundial. Cerca de 10.000 unidades do Mitsubishi A6M Zero foram produzidas até 1945, 420 delas foram utilizadas somente no ataque a Pearl Harbor.

Especificações do Mitsubishi A6M Zero

Envergadura:36 pés. 1-1/16 pol.
Comprimento: 29 pés 11-3/32 pol.
Altura: 11 pés. 6-5/32 pol.
Peso vazio: 1876Kg
Peso bruto: 2700kg
Velocidade máxima: 564km/h
Altura máxima de serviço: 38.500 pés.
Alcance: 2000 km
Motor/cavalo de potência: 1 Nakajima Sakae/1130
Tripulação: 1
Armamento: 2x Type 97 de 7,7 mm; 1x Type 3 de 13,2 mm na carenagem; 1x canhão Type 99 de 20 mm em cada asa; 2 × bombas d 60 kg ou uma bomba de 250kg para missões de ataque kamikaze.

Fonte: HowStuffWorks

Clique para classificar este post!
[Total: 1 Média: 5]
Higor Mendes
Redator com cinco anos de experiência, apaixonado por história da Segunda Guerra Mundial, política, futebol e curiosidades em geral.

    As consequências do nazismo para a sociedade: O grande erro de Monark

    Artigo anterior

    A origem dos capacetes de aço e a efetividade histórica do modelo alemão

    Próximo artigo

    Comentários

    Os comentários estão fechados.

    Mais Armas